10440195_10203327388602142_7225056139033694568_n

Não é para se sentir o máximo quando uma leitora escreve uma homenagem dessa? A Nauh é uma das minhas queridas e grandes amigas virtuais – nunca a vi pessoalmente – e por isso, ao ver esse sincero depoimento dela sobre como foi ler Um toque de solidão, me deixou nas nuvens. Confiram aí:

Então, o Danilo Barbosa divulgou o livro com o conto Um toque de solidão que disponibilizou na Amazon e eu, que não tinha conseguido concluir uma única leitura durante as férias, apostei que se alguém quebraria a maldição seria o Dan. E acertei.
Uma história sensível e pertinente, que nos questiona de forma delicada a respeito do mundo em que vivemos e como a solidão auto imposta, tão presente que tantas vezes indolor nos afasta frequentemente de perceber nossos sentimentos a respeito das pessoas não virtuais da nossa vida, e nos faz perder tanto bem, tanto afeto e tanto amor.
Ariel e Bento precisaram passar por uma separação para entenderem que o relacionamento e as experiências que decidiram compartilhar era mais importante de que as vidas virtuais, mas que não é necessário se livrar delas para viver feliz. É necessário equilíbrio!
Eu já passei por uma separação difícil e a solidão estava lá entre as causas.
Hoje, eu tenho o meu companheiro de vida(s), meu marido, mas acima de tudo, meu amigo. E eu tenho a sorte de experimentar todos os dias os momentos de afeto e de dizer todos os dias o “eu te amo”, fundamentais para que qualquer relacionamento a dois funcione. Ou a três, ou a quatro, ou a cinco…
Um toque de solidão marejou meus olhos lá pela metade e daí pro final foi cachoeira, mesmo.
Obrigada, Dan.
Toma amor pra você, meu amigo querido. 

 

One thought on “Opinião do leitor: Naluh Duarte

Deixe uma resposta